1. A verdade que liberta é um dom de Jesus Cristo (cf. Jo 8, 32). A busca da verdade é inerente à natureza do homem, enquanto a ignorância o mantém em uma condição de escravidão. Com efeito, o homem não pode ser verdadeiramente livre se não é iluminado quanto às questões centrais da sua existência, em particular sobre a questão de saber de
    onde vem e para onde vai. Torna-se livre quando Deus a ele se doa como um Amigo, segundo a palavra do Senhor: « não vos chamo mais de servos, porque o servo não sabe o que o seu senhor faz; mas eu vos chamo amigos, porque tudo o que ouvi do Pai eu vos dei a conhecer » (Jo 15, 15). A libertação da alienação do pecado e da morte se realiza
    para o homem quando Cristo, que é a Verdade, se torna para ele também o « caminho » (cf. Jo 14, 6).