II SamuelSelecionar outro livro


Capítulo 22 de 24

1Davi dirigiu ao Senhor as palavras do cântico que segue, no dia em que o Senhor o livrou da mão de todos os seus inimigos e da mão de Saul.*

2“O Senhor é meu rochedo, minha fortaleza e meu libertador.

3Meu Deus é minha rocha onde encontro o meu abrigo. Meu escudo e força de minha salvação, minha cidadela e meu refúgio. Meu salvador que me salva da violência!

4Invoco o Senhor que é digno de todo o louvor e fico livre dos meus inimigos.

5Circundavam-me os vagalhões da morte, torrentes devastadoras me atemorizavam,*

6enlaçavam-se as cadeias da habitação dos mortos, a própria morte me prendia em suas redes.

7Na minha angústia, invoquei o Senhor, gritei para meu Deus; do seu templo ele ouviu a minha voz, e o meu clamor chegou aos seus ouvidos.

8A terra vacilou e tremeu, os fundamentos dos céus estremeceram, abalaram-se, porque Deus se abrasou em cólera.

9Suas narinas exalavam fumaça, sua boca, fogo devorador, brasas incandescentes.

10Ele inclinou o céu e desceu, calcando aos pés escuras nuvens,

11cavalgou sobre um querubim e voou, planando nas asas do vento.

12Envolveu-se nas trevas como numa tenda, nas águas tenebrosas, densas nuvens.

13Do esplendor de sua presença flamejaram centelhas de fogo,

14dos céus trovejou o Senhor, o Altíssimo fez ressoar a sua voz,

15lançou setas e dispersou os inimigos, fulminou relâmpagos e os desbaratou.

16E apareceu descoberto o leito do mar, os fundamentos da terra, ante a voz ameaçadora do Senhor, ante o furacão de sua cólera.

17Do alto estendeu a sua mão e me pegou e retirou-me das águas profundas,

18livrou-me do inimigo poderoso, dos meus adversários, mais fortes do que eu.

19Investiram contra mim no dia do meu infortúnio, mas o Senhor foi o meu arrimo,

20pôs-me a salvo e livrou-me, porque me ama.

21O Senhor me tratou segundo a minha inocência, retribuiu-me segundo a pureza de minhas mãos,

22porque guardei os caminhos do Senhor e não pequei separando-me do meu Deus.

23Tenho diante dos olhos todos os seus preceitos e não me desvio de suas leis.

24Ando irrepreensivelmente diante dele, guardando-me do meu pecado.

25O Senhor retribuiu-me segundo a minha justiça, segundo a minha pureza diante dos seus olhos.

26Com quem é bondoso vos mostrais bondoso, com homem íntegro vos mostrais íntegro,

27puro, com quem é puro; prudente, com quem é astuto.

28Aos humildes salvais; os semblantes soberbos humilhais.

29Senhor, sois meu farol; é o Senhor quem dissipa as minhas trevas.

30Convosco afrontarei batalhões; com meu Deus escalarei muralhas.

31Os caminhos de Deus são perfeitos; a palavra do Senhor é pura. Ele é o escudo de todos os que nele se refugiam.

32Pois, quem é Deus senão o Senhor? Quem é o rochedo, senão o nosso Deus?

33É Deus quem me cinge de coragem e aplana o meu caminho.*

34Torna os meus pés velozes como os das gazelas e me instala nas alturas.

35Adestra minhas mãos para o combate e meus braços para o tiro de arco.

36Vós me dais o escudo que me salva e vossa bondade me engrandece.

37Alargais o caminho a meus passos para meus pés não resvalarem.

38Dou caça aos inimigos e os extermino. E não volto sem que os tenha aniquilado.

39De tal sorte os aniquilo e despedaço, que não mais se levantam; eles estão caídos a meus pés.

40Vós me cingis de coragem para a luta e ante mim dobrais os meus adversários.

41Afugentais da minha presença os meus inimigos. E reduzo ao silêncio os que me aborrecem.

42Gritam por socorro, mas não há quem os salve, clamam ao Senhor, mas não responde...

43Eu os trituro como ao pó da terra. E os esmago aos pés como ao barro das estradas.

44Vós me livrais das revoltas do meu povo e me guardais à frente das nações. Povos que eu desconhecia se tornaram meus servos.

45Gente estranha me serve abnegadamente e obedecem-me à primeira intimação.

46Gente estranha desfalece e sai tremendo de seus esconderijos.

47Viva o Senhor e bendito seja o meu rochedo! Exaltado seja Deus, Rocha que me salva!

48Deus, que me proporciona a vingança e avassala nações a meus pés.

49Sois vós quem me libertais dos meus inimigos, me exaltais acima dos meus adversários e me salvais do homem violento.

50Por isso vos louvarei, ó Senhor, entre as nações e celebrarei o vosso nome.

51Ele prepara grandes vitórias a seu rei e faz misericórdia a seu ungido. A Davi e sua descendência para sempre.”