II SamuelSelecionar outro livro


Capítulo 7 de 24

1Ora, tendo o rei Davi acabado de instalar-se em sua residência e tendo-lhe o Senhor dado paz, livrando-o de todos os inimigos que o cercavam,

2disse ele ao profeta Natã: “Vê! Eu moro num palácio de cedro e a arca de Deus está alojada numa tenda!”.

3Natã respondeu-lhe: “Pois bem, faze o que desejas fazer, porque o Senhor está contigo!”.

4Mas a palavra do Senhor foi dirigida a Natã naquela mesma noite e dizia:

5“Vai e dize ao meu servo Davi: ‘Eis o que diz o Senhor: Não és tu quem me edificará uma casa para eu habitar?’.*

6Desde que tirei da terra do Egito os filhos de Israel até o dia de hoje, não habitei casa alguma, mas, qual um viandante, tenho-me alojado sob a tenda e sob um tabernáculo improvisado.

7E em todo esse tempo que andei no meio dos israelitas, falei eu porventura a algum dos chefes de Israel que encarreguei de apascentar o meu povo: ‘Por que não me edificas uma casa de cedro?’.

8Dirás, pois, ao meu servo Davi: ‘Eis o que diz o Senhor dos exércitos: Eu te tirei das pastagens onde guardavas tuas ovelhas para fazer de ti o chefe de meu povo de Israel.

9Estive contigo em toda a parte por onde andaste; exterminei diante de ti todos os teus inimigos e fiz o teu nome comparável ao dos grandes da terra.

10Designei um lugar para o meu povo de Israel: plantei-o nele e ali ele mora, sem ser inquietado e os maus não o oprimirão mais como outrora,

11no tempo em que eu estabelecia juízes sobre o meu povo. Concedo-te uma vida tranquila, livrando-te de todos os teus inimigos. O Senhor anuncia-te que quer fazer-te uma casa.

12Quando chegar o fim de teus dias e repousares com os teus pais, então suscitarei depois de ti a tua posteridade, aquele que sairá de tuas entranhas e firmarei o seu reino.

13Ele me construirá um templo e firmarei para sempre o seu trono real.

14Eu serei para ele um pai e ele será para mim um filho. Se ele cometer alguma falta, eu o castigarei com vara de homens e com açoites de homens,*

15mas não lhe tirarei a minha graça, como a retirei de Saul, a quem afastei de ti.

16Tua casa e teu reino estão estabelecidos para sempre diante de mim e o teu trono está firme para sempre’.”*

17Natã comunicou a Davi todas as palavras dessa revelação.

18O rei Davi veio apresentar-se ao Senhor e disse-lhe: “Quem sou eu, Senhor Javé, e quem é a minha família, para que me tenhais trazido até aqui?

19E como se isso parecesse pouco aos vossos olhos, Senhor Javé, fizestes promessas à casa de vosso servo para tempos futuros! Acaso isso é normal para o homem, Senhor Javé?*

20Que poderia acrescentar ainda Davi? Vós conheceis o vosso servo, Senhor Javé.

21Conforme a vossa palavra e segundo o impulso do vosso coração, fizes­tes todas essas grandes coisas para manifestá-las ao vosso servo.

22Por isso, sois grande, ó Senhor Javé. Ninguém há semelhante a vós e não há outro Deus fora de vós, segundo tudo o que ouvimos dizer.

23E que povo há na terra semelhante ao vosso povo de Israel, a quem seu Deus veio resgatar para que se tornasse o seu povo, dando-lhe um nome, operando em seu favor grandes e terríveis prodígios e expulsando diante do seu povo resgatado do Egito as nações com os seus deuses?

24Estabelecestes solidamente o vosso povo de Israel para ser eternamente o vosso povo e vós vos tornastes o seu Deus, ó Senhor.

25E agora, Senhor Deus, cumpri para sempre a promessa que fizestes a respeito do vosso servo e da sua casa e fazei como dissestes.

26Então será para sempre exaltado o vosso nome e dirão: ‘O Senhor dos exércitos é o Deus de Israel’. E permaneça estável diante de vós a casa de vosso servo Davi.

27Porque vós mesmo, ó Senhor dos exércitos, fizestes ao vosso servo esta revelação: ‘Eu te construirei uma casa’. Por isso, o vosso servo atreveu-se a dirigir-vos essa prece.

28Agora, ó Senhor Javé, vós sois Deus e vossas palavras são a mesma verdade. Pois que prometestes ao vosso servo esta graça,

29abençoai desde agora a sua casa para que ela subsista para sempre diante de vós. Porque sois vós, Senhor Javé, que falastes e graças à vossa bênção a casa de vosso servo será abençoada para sempre”.