EclesiásticoSelecionar outro livro


Capítulo 1 de 51

1Toda a sabedoria vem do Senhor Deus, ela sempre esteve com ele. Ela existe antes de todos os séculos.

2Quem pode contar os grãos de areia do mar, as gotas de chuva, os dias do tempo? Quem pode medir a altura do céu, a extensão da terra, a profundidade do abismo?

3Quem pode penetrar a sabedoria divina, anterior a tudo?

4A sabedoria foi criada antes de todas as coisas, a inteligência prudente existe antes dos séculos!

5O Verbo de Deus nos céus é fonte de sabedoria, seus caminhos são os mandamentos eternos.

6A quem foi revelada a raiz da sabedoria? Quem pode discernir os seus artifícios?

7A quem foi mostrada e revelada a ciência da sabedoria? Quem pode compreender a multiplicidade de seus caminhos?

8Somente o Altíssimo, criador onipotente, rei poderoso e infinitamente temível, Deus dominador, sentado no seu trono;

9foi ele quem a criou no Espírito Santo, quem a viu, numerada e medida;*

10ele a aspergiu em todas as suas obras, sobre toda a carne, à medida que a repartiu, e deu-a àqueles que a amavam.

11O temor do Senhor é uma glória, um motivo de glória, uma fonte de alegria, uma coroa de regozijo.

12O temor do Senhor alegra o coração. Ele nos dá alegria, regozijo e longa vida.

13Quem teme o Senhor se sentirá bem no instante derradeiro, no dia da morte será abençoado.

14O amor de Deus é uma sabedoria digna de ser honrada.

15Aqueles a quem ela se mostra amam-na logo que a veem, logo que reconhecem os prodígios que realiza.

16O temor do Senhor é o início da sabedoria. Ela foi criada com os homens fiéis no seio de sua mãe, ela caminha com as mulheres de escol, vemo-la na companhia dos justos e dos fiéis.

17O temor do Senhor é a religião da ciência.*

18Essa religião guarda e santifica o coração; ela lhe traz satisfação e alegria.

19Aquele que teme ao Senhor será confortado, no dia da morte será abençoado.

20O temor do Senhor é a plenitude da sabedoria, a plenitude de seus frutos, para aquele que a possui

21ela enche toda a sua casa com os bens que produz, e seus celeiros com seus tesouros.

22O temor do Senhor é a coroa da sabedoria: dá uma plenitude de paz e de frutos de salvação.

23Ele a viu e numerou-a; ora, um e outra são um dom de Deus.

24A sabedoria distribui a ciência e a prudente inteligência; eleva à glória aqueles que a possuem.

25O temor do Senhor é a raiz da sabedoria, seus ramos são de longa duração.

26A inteligência e a religião da ciência se acham nos tesouros da sabedoria, mas a sabedoria é abominada pelos pecadores.

27O temor do Senhor expulsa o pecado,

28pois aquele que não tem esse temor não poderá tornar-se justo. A violência de sua paixão causará sua ruína.

29O homem paciente esperará até um determinado tempo, após o qual a alegria lhe será restituída.

30O homem de bom senso guarda suas palavras; muitos falarão, em voz alta, de sua prudência.

31O sentido da instrução está encerrado nos celeiros da sabedoria.

32Mas o culto de Deus é abominado pelo pecador.

33Meu filho, tu que desejas ardentemente a sabedoria, sê justo e Deus te concederá.

34Pois o temor do Senhor é sabedoria e instrução, e o que lhe é agradável

35é fidelidade e doçura; ele encherá os celeiros daqueles (que as possuem).

36Não sejas rebelde ao temor do Senhor, não vás a ele com um coração fingido.

37Não sejas hipócrita diante dos homens, e que teus lábios não sejam motivo de queda.

38Vela sobre eles para que não caias, e não atraias sobre tua alma a desonra;

39e para que Deus, revelando teus segredos, não te destrua no meio da assembleia,

40por te teres aproximado do Senhor sorrateiramente, com o coração cheio de astúcia e engano.