HebreusSelecionar outro livro


Capítulo 13 de 13

1Conserve-se entre vós a caridade fraterna.

2Não vos esqueçais da hospitalidade, pela qual alguns, sem o saberem, hospedaram anjos.*

3Lembrai-vos dos encarcerados, como se vós mesmos estivésseis presos com eles. E dos maltratados, como se habitásseis no mesmo corpo com eles.

4Vós todos considerai o matri­mônio com respeito e conservai o leito conjugal imaculado, porque Deus julgará os impuros e os adúlteros.

5Vivei sem avareza. Contentai-vos com o que tendes, pois Deus mesmo disse: Não te deixarei nem desampararei (Dt 31,6).

6Por isso é que podemos dizer com confiança: O Senhor é meu socorro, e nada tenho que temer. Que me poderá fazer o homem (Sl 117,6)?

7Lembrai-vos de vossos guias que vos pregaram a Palavra de Deus. Considerai como souberam encerrar a carreira. E imitai-lhes a fé.

8Jesus Cristo é sempre o mesmo: ontem, hoje e por toda a eternidade.

9Não vos deixeis desviar pela diversidade de doutrinas estranhas. É muito me­lhor fortificar a alma pela graça do que por alimentos que nenhum proveito trazem aos que a eles se entregam.

10Temos um altar do qual não têm direito de comer os que se empregam no serviço do tabernáculo (mosaico).

11Porque, quando o sumo sacerdote levava ao santuário o sangue dos animais imolados para a expiação do pecado, os corpos desses animais eram inteiramente consumidos fora da entrada.*

12Por esta razão, Jesus, querendo purificar o povo pelo seu próprio sangue, padeceu fora das portas.

13Saiamos, pois, a ele fora da entrada, levando a sua ignomínia.*

14Aliás, não temos aqui cidade permanente, mas vamos em busca da futura.

15Por ele ofereçamos a Deus sem cessar sacrifícios de louvor, isto é, o fruto dos lábios que celebram o seu nome (Os 14,2).

16Não negligencieis a bene­ficência e a liberalidade. Estes são sacrifícios que agradam a Deus!

17Sede submissos e obedecei aos que vos guiam (pois eles velam por vossas almas e delas devem dar conta). Assim, eles o farão com alegria, e não a gemer, que isso vos seria funesto.

18Orai por nós. Estamos persuadidos de ter a consciência em paz, pois estamos decididos a procurar o bem em tudo.

19Com o maior encarecimento, porém, vos rogo que oreis, para que mais depressa eu vos seja restituído.

20E o Deus da paz que, no sangue da eterna aliança, ressuscitou dos mortos o grande pastor das ove­lhas, nosso Senhor Jesus,

21queira dispor-vos ao bem e vos conceder que cumprais a sua vontade, realizando ele próprio em vós o que é agradável aos seus olhos, por Jesus Cristo, a quem seja dada a glória por toda a eternidade. Amém.

22Rogo-vos, irmãos, que aceiteis de boa mente estas exortações, pois vos escrevi com brevidade.

23Sabei que nosso irmão Timóteo foi posto em liberdade; se ele voltar a tempo, irei com ele ver-vos.

24Saudai a todos os que vos guiam e a todos os santos. Os irmãos da Itália vos saúdam.

25A graça esteja com todos vós. Amém.