LevíticoSelecionar outro livro


Capítulo 23 de 27

1O Senhor disse a Moisés: “Dize aos israelitas o seguinte:

2Eis as festas do Senhor que anunciareis como devendo ser santas assembleias: essas são as minhas solenidades.

3Trabalhareis seis dias, mas no sétimo dia, sábado, dia de repouso, haverá uma santa assembleia. Nele não fareis trabalho algum. É o repouso consagrado ao Senhor, em todos os lugares em que habitardes”.

4“Eis as festas do Senhor, santas assembleias que anunciareis no devido tempo:

5No dia catorze do primeiro mês, entre as duas tardes, é a Páscoa do Senhor.

6E no dia quinze do mesmo mês, é a festa dos Pães sem Fermento, em honra do Senhor: comereis pães sem fermento durante sete dias.

7Tereis no primeiro dia uma santa assembleia, e não fareis nenhum trabalho servil.

8Durante sete dias, oferecereis ao Senhor sacrifícios pelo fogo. No sétimo dia, haverá uma santa assembleia. Não fareis nenhum trabalho servil.”

9O Senhor disse a Moisés: “Dize aos israelitas o seguinte:

10Quando tiverdes entrado na terra que vos hei de dar, e fizerdes a ceifa, trareis ao sacerdote um feixe de espigas como primícias de vossa ceifa.

11O sacerdote agitará esse feixe de espigas diante do Senhor, para que ele vos seja favorável. O sacerdote fará isso no dia seguinte ao sábado.

12No mesmo dia em que o feixe for agitado, oferecereis ao Senhor em holocausto um cordeiro de um ano, sem defeito,

13ajuntando a ele uma oferta de dois décimos de flor de farinha amassada com óleo, como sacrifício pelo fogo de agradável odor ao Se­nhor. A libação será de um quarto de hin de vinho.

14Não comereis nem pão, nem grão torrado, nem espigas frescas até o dia em que levardes a oferta ao vosso Deus. Essa é uma lei perpétua para vossos descendentes, em todos os lugares em que habitardes”.

15“A partir do dia seguinte ao sábado, desde o dia em que tiverdes trazido o feixe para ser agitado, contareis sete semanas completas.

16Contareis cinquenta dias até o dia seguinte ao sétimo sábado, e apresentareis ao Se­nhor uma nova oferta.

17Trareis de vossa casa dois pães feitos de dois décimos de flor de farinha, cozidos com fermento, para agitá-los como oferta; são as primícias do Senhor.

18Oferece­reis com o pão em holocausto ao Senhor sete cordeiros de um ano, sem defeito, um novilho e dois carneiros, acompanhados da oferta e da libação. Esse será um sacrifício de agradável odor ao Senhor.

19Oferecereis também um bode pelo pecado e, como sacrifício pacífico, dois cordeiros de um ano.

20O sacerdote os agitará com o pão das primícias, como ofertas agitadas diante do Senhor, com os dois cordeiros. Serão consagrados ao Senhor, e serão propriedade do sacerdote.

21Nesse mesmo dia, anunciareis a festa e convocareis uma santa assembleia: não fareis nenhum traba­lho servil. Essa é uma lei perpétua para vossos descendentes, em qualquer lugar onde habitardes.

22Quando fizeres a ceifa em tua terra, não ceifarás até o extremo limite de teu campo e não reco­lherás a espiga de tua ceifa. Deixará isso para o pobre e o estrangeiro. Eu sou o Senhor, vosso Deus.”

23O Senhor disse a Moisés: “Dize aos israelitas o seguinte:

24No sétimo mês, no primeiro dia do mês, haverá para vós um dia de repouso, solenidade que publi­careis ao som da trombeta, uma santa assembleia.

25Não fareis nenhum traba­lho servil e oferecereis ao Senhor sacrifícios consumidos pelo fogo”.

26O Senhor disse a Moisés:

27“No décimo dia do sétimo mês será o dia das Expiações. Tereis uma santa assembleia: humilhareis vossas almas e oferecereis ao Senhor sacrifícios queimados pelo fogo.

28Não fareis trabalho algum naquele dia, porque é o dia de expiação em que deve ser feita a expiação por vós diante do Senhor, vosso Deus.

29Todo aquele que não se humi­lhar nesse dia será cortado do meio de seu povo.

30E todo o que fizer nesse dia um trabalho qualquer, eu o suprimirei do meio de seu povo.

31Não fareis, pois, trabalho algum; essa é uma lei perpétua para vossos descendentes, em todos os lugares em que habitardes.

32Será para vós um sábado, dia de descanso absoluto, e humilhareis vossas almas. Observareis vosso sábado, desde a tarde do dia nove do mês até à tarde do dia seguinte”.*

33O Senhor disse a Moisés: “Dize aos israelitas o seguinte:

34O décimo quinto dia do sétimo mês é a festa dos Tabernáculos durante sete dias, em honra do Senhor.*

35No primeiro dia haverá uma santa assembleia: não fareis nenhum trabalho servil.

36Durante sete dias, oferecereis ao Senhor sacrifícios queimados pelo fogo. No oitavo dia, tereis uma santa assembleia e oferecereis ao Senhor sacrifícios queimados pelo fogo. Será uma assembleia solene: não fareis nenhum trabalho servil.

37Essas são as solenidades do Se­nhor nas quais anunciareis santas assembleias, para oferecer ao Senhor sacrifícios queimados pelo fogo, holocaustos e oblações, vítimas e libações, cada coisa em seu dia,

38sem falar dos sábados do Senhor, de vossos dons, votos e de todas as ofertas espontâneas que fizerdes ao Senhor.

39No décimo quinto dia do sétimo mês, quando tiverdes colhido os produtos da terra, celebrareis uma festa ao Senhor durante sete dias. O primeiro dia será um dia de repouso, bem como o oitavo.

40No primeiro dia, tomareis frutos de árvores formosas, folhas de palmeiras, ramos de árvores frondosas e de salgueiros da torrente; e vos alegrareis durante sete dias, diante do Senhor, vosso Deus.

41Cada ano celebrareis essa festa durante sete dias em honra do Senhor. Essa é uma lei perpétua para vossos descendentes. Celebrareis a festa no sétimo mês.

42Habitareis em barracas de ramos durante sete dias. Todo homem da geração de Israel habitará em barracas de ramos,

43para que saibam os vossos descendentes que fiz habitar os israelitas em barracas de ramos, quando os tirei do Egito. Eu sou o Senhor, vosso Deus”.

44Foi assim que Moisés falou aos israelitas, prescrevendo-lhes as festas do Senhor.