São MateusSelecionar outro livro


Capítulo 23 de 28

1Dirigindo-se, então, Jesus à multidão e aos seus discípulos, disse:

2“Os escribas e os fariseus sentaram-se na cadeira de Moisés.

3Observai e fazei tudo o que eles dizem, mas não façais como eles, pois dizem e não fazem.

4Atam fardos pesados e esmagadores e com eles sobrecarregam os ombros dos homens, mas não querem movê-los sequer com o dedo.

5Fazem todas as suas ações para serem vistos pelos homens, por isso trazem largas faixas e longas franjas nos seus mantos.

6Gostam dos primeiros lugares nos banquetes e das primeiras cadeiras nas sinagogas.

7Gostam de ser saudados nas praças públicas e de ser chamados rabi pelos homens.

8Mas vós não vos façais chamar rabi, porque um só é o vosso preceptor, e vós sois todos irmãos.

9E a ninguém chameis de pai sobre a terra, porque um só é vosso Pai, aquele que está nos céus.

10Nem vos façais chamar de mestres, porque só tendes um Mestre, o Cristo.

11O maior dentre vós será vosso servo.

12Aquele que se exaltar será humilhado, e aquele que se humilhar será exaltado.

13Ai de vós, escribas e fariseus hipócritas! Vós fechais aos homens o Reino dos Céus. Vós mesmos não entrais e nem deixais que entrem os que querem entrar.

14[Ai de vós, escribas e fariseus hipócritas! Devorais as casas das viú­vas, fingindo fazer longas orações. Por isso, sereis castigados com muito maior rigor.]*

15Ai de vós, escribas e fariseus hipócritas! Percorreis mares e terras para fazer um prosélito e, quando o conseguis, fazeis dele um filho do inferno duas vezes pior que vós mesmos.*

16Ai de vós, guias cegos! Vós dizeis: Se alguém jura pelo templo, isto não é nada; mas, se jura pelo tesouro do templo, é obrigado pelo seu juramento.

17Insensatos, cegos! Qual é o maior: o ouro ou o templo que santifica o ouro?

18E dizeis ainda: Se alguém jura pelo altar, não é nada; mas, se jura pela oferta que está sobre ele, é obrigado.

19Cegos! Qual é o maior: a oferta ou o altar que santifica a oferta?

20Aquele que jura pelo altar jura ao mesmo tempo por tudo o que está sobre ele.

21Aquele que jura pelo templo, jura ao mesmo tempo por aquele que nele habita.

22E aquele que jura pelo céu, jura ao mesmo tempo pelo trono de Deus e por aquele que nele está sentado.

23“Ai de vós, escribas e fariseus hipócritas! Pagais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho e desprezais os preceitos mais importantes da Lei: a justiça, a misericórdia, a fidelidade. Eis o que era preciso praticar em primeiro lugar sem, contudo, deixar o restante.

24Guias cegos! Filtrais um mosquito e engolis um camelo.

25Ai de vós, escribas e fariseus hipócritas! Limpais por fora o copo e o prato e por dentro estais cheios de roubo e de intemperança.

26Fariseu cego! Limpa primeiro o interior do copo e do prato, para que também o que está fora fique limpo.

27Ai de vós, escribas e fariseus hipócritas! Sois semelhantes aos sepulcros caiados: por fora parecem formosos, mas por dentro estão cheios de ossos, de cadáveres e de toda espécie de podridão.*

28Assim também vós: por fora pareceis justos aos olhos dos homens, mas por dentro estais cheios de hipocrisia e de iniquidade.

29Ai de vós, escribas e fariseus hipócritas! Edificais sepulcros aos profetas, adornais os monumentos dos justos

30e dizeis: Se tivéssemos vivido no tempo de nossos pais, não teríamos manchado nossas mãos como eles no sangue dos profetas...

31Testemunhais assim contra vós mesmos que sois de fato os fi­lhos dos assassinos dos profetas.

32Acabai, pois, de encher a medida de vossos pais!*

33Serpentes! Raça de víboras! Como escapareis ao castigo do inferno?

34Vede, eu vos envio profetas, sábios, doutores. Matareis e crucificareis uns e açoitareis outros nas vossas sinagogas. Eu os perseguireis de cidade em cidade,

35para que caia sobre vós todos o sangue inocente derramado sobre a terra, desde o sangue de Abel, o justo, até o sangue de Zacarias, filho de Baraquias, a quem matastes entre o templo e o altar.

36Em verdade vos digo: todos esses crimes pesam sobre esta raça.

37Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas e apedrejas aqueles que te são enviados! Quantas vezes eu quis reunir teus fi­lhos, como a galinha reúne seus pinti­nhos debaixo de suas asas... e tu não quiseste!

38Pois bem, a vossa casa vos é deixada deserta.

39Porque eu vos digo: já não me vereis de hoje em diante, até que digais: Bendito seja aquele que vem em nome do Senhor.”